Energia Eolica

Maio 28 2014

A capacidade instalada das usinas eólicas em operação no Brasil passou de 2.250 MW para 2.758 MW entre fevereiro e março de 2014 – um crescimento de 22,6% em apenas um mês. O incremento se deve à entrada de novas usinas que estavam prontas, mas aguardavam a conexão ao sistema de transmissão/distribuição para iniciar a produção. Em um ano, o salto foi de 36% frente aos 2.027 MW instalados em março de 2013. Os dados constam do Boletim das Usinas Eólicas, publicado mensalmente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE.

A geração desse parque gerador eólico em março foi de 630 MW médios, montante 2,1% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. A pequena elevação se deve à entrada em operação de novas usinas neste ano apenas no final do mês. 

Na comparação trimestral, houve alta de 19,9% na produção frente aos três primeiros meses de 2013.  A capacidade instalada das usinas eólicas associada à energia comercializada nos leilões do ambiente regulado correspondeu a 49% do total (1.364MW), enquanto os montantes associados à energia comercializada no PROINFA (Programa de Incentivo às Fontes Alternativas – 965 MW) e no mercado livre de energia (430 MW) representaram 35% e 16%, respectivamente.

O Nordeste é a região do país que concentra a maior capacidade instalada de geração eólica, com a marca de 1.899 MW em março – uma expansão de 45,4% frente ao verificado no mesmo período de 2013.  São atualmente 78 as usinas na região, sendo que este mês houve acréscimo de 18 empreendimentos, sendo 6 no Ceará e 12 no Rio Grande do Norte.  O parque nordestino corresponde a 69% da capacidade total de usinas eólicas no Brasil.

O Sul também apresentou capacidade significativa, de 832 MW (30,1% do total) em um universo de 33 usinas, com salto de 19,9% em relação a março de 2013. Já o Sudeste possui uma única usina dentro de todo o período avaliado, com capacidade de 28 MW.

Destaques

Segundo o Boletim das Eólicas, os Estados com maior participação na geração média no período foram Ceará (241 MW médios), Rio Grande do Norte (146 MW médios), Rio Grande do Sul (146 MW médios), Bahia (97 MW médios) e Santa Catarina (54 MW médios), que totalizam 94% do total gerado.

Vale ressaltar que o Boletim de Usinas Eólicas não leva em consideração um total de 429,01 MW médios de garantia física  (associados  a  930 MW decapacidade  instalada) de usinas que a Agência Nacional de Energia Elétrica–  Aneel considera em condições de entrar em operação comercial, mas que se encontram  com  restrição até a interligação efetiva dos parques ao sistema de  distribuição/transmissão. Esses empreendimentos são provenientes do 2º Leilão de Fontes Alternativas e do 2º e 3º Leilão de Energia de Reserva.

Sobre a CCEE

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE (www.ccee.org.br) é responsávelpor  viabilizar  e  gerenciar  a  comercialização  de  energiaelétrica  no  país,  garantindo a segurança e o equilíbrio financeiro destemercado.  A CCEE é uma associação civil sem fins lucrativos, mantida pelasempresas que comprame  vendem  energia  no  Brasil.  

O  papel da CCEE éfortalecer o ambiente de comercialização de energia - no ambiente regulado,no  ambiente  livre  e  no  mercado  de  curto prazo - por meio de regras emecanismos  que promovam relações comerciais sólidas e justas para todos ossegmentos  do  setor  (geração, distribuição, comercialização e consumo). A CCEE atua  em conjunto com outras instituições e órgãos governamentais que compõem  a  governança  do  setor  para  assegurar um modelo sustentável de energia  no país, capaz de estimular o crescimento da economia do Brasil e,ao mesmo tempo, garantir um preço acessível ao consumidor.

 

fonte:http://www.segs.com.br/d

publicado por adm às 20:30

pesquisar
 
links