Energia Eolica

Janeiro 27 2014

A Indonésia poderá estar interessada na capacidade de Portugal na produção de energia eólica, revelou hoje o ministro indonésio dos Negócios Estrangeiros, em visita a Lisboa para reforçar as relações económicas entre os dois países.

"Estou informado sobre a capacidade de Portugal nas energias renováveis, incluindo a energia produzida pelo vento, algo em que podemos estar interessados", disse Marty Natalegawa, numa conferência de imprensa após um encontro com o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português, Rui Machete.

As energias renováveis são uma das áreas de oportunidade para as empresas portuguesas na Indonésia, mas Rui Machete apresentou muitas outras, como as tecnologias da informação, os produtos alimentares, os têxteis, o calçado, o imobiliário, o turismo e maquinaria de tecnologia média e mais desenvolvida.

Este encontro foi, segundo o chefe da diplomacia portuguesa, um "passo muito importante no aprofundamento das relações entre Portugal e Indonésia, que são muitíssimo boas".

Se as relações políticas entre os dois países são "excelentes", Rui Machete reconheceu que há ainda "muito caminho a percorrer no âmbito do relacionamento, sobretudo económico e comercial", faltando realizar "um esforço muito grande para explorar as oportunidades que existem".

"O dinamismo das economias emergentes da Ásia-Pacífico tornou aquela região prioritária para as empresas portuguesas e para a diplomacia económica de Portugal", sublinhou, admitindo que os portugueses começaram "relativamente tarde a dar a devida atenção a esta região da Ásia, mas hoje as empresas portuguesas estão plenamente convencidas da sua importância e há que lançar as iniciativas necessárias para esse aproveitamento".

A Indonésia, acrescentou, é o segundo país do G-20 com maior crescimento económico desde 2010, sendo superado apenas pela China.

O ministro revelou ter acordado, com o seu homólogo indonésio, a realização de "pelo menos uma reunião anual" para rever "as atividades em comum ou lançar novas iniciativas".

"Isso não tem sido feito nestes anos, apesar de as relações serem boas e de terem havido visitas de caráter empresarial, designadamente por parte de empresários portugueses à Indonésia. Não houve a cooperação toda que podia ter sido potenciada pelos acordos já estabelecidos", salientou Rui Machete.

O ministro indonésio salientou que as relações entre os dois países têm vindo a intensificar-se nos últimos anos, em particular com a deslocação do Presidente da República, Cavaco Silva, à Indonésia em 2012, naquela que foi a primeira visita de Estado de Portugal àquele país, após o reatar de relações em 1999.

A relação entre os dois países "está a tornar-se cada vez mais substancial na área económica e no investimento", declarou Marty Natalegawa, que referiu que a sua visita a Portugal pretende garantir que esta cooperação "vai manter-se e até ser incentivada" e que "está a ser feito progresso nas diferentes áreas de cooperação, em particular na economia e cultura".

 

fonte:http://dinheirodigital.sapo.pt/

publicado por adm às 22:30

pesquisar
 
links