Energia Eolica

Junho 10 2010

Um apartamento, uma fábrica e esculturas sustentáveis, tudo no mesmo pacote. Esta é a proposta da Asas Incorporações e da Habitat para o primeiro empreendimento residencial com produção a energia eólica no Brasil. Baptizado de Neo, o condomínio contará com duas torres nas quais serão instaladas turbinas de vento para o aquecimento das águas dos 24 apartamentos. Conhecido como Next Generation e executado pela Seleta Engenharia, o projecto está a ser implementado próximo da Lagoa da Conceição, na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina.

De acordo com Jacques Suchodolski, sócio-proprietário da Asas, os geradores serão capazes de produzir 100% da energia necessária para o aquecimento da água consumida pelos condóminos, o que representará cerca de 50% da procura total de energia dos edifícios que compõem o condomínio. "Este será o primeiro de uma série de empreendimentos. Já estamos à procura de novas áreas e vamos procurar outras fontes de sustentabilidade, mesmo em lugares que não tenham vento", afirma Suchodolski.

O ‘design' dos geradores é um alento para aqueles que se assustam ao imaginar enormes torres de energia eólica cortando a paisagem da capital catarinense. O formato das turbinas é vertical e tem um forte apelo estético que, a princípio, as faz parecer esculturas modernas de uma coluna helicoidal. As peças com 1,20 metros de diâmetro e seis de altura são capazes de gerar cerca de cinco quilowatts cada - e, outra das vantagens, sem ruído.

O miniparque eólico, que teve como principal fornecedor a americana Hilux Wind, não é o único equipamento sustentável do projecto. A energia gerada para o aquecimento da água será complementada pela captação feita por painéis solares. Outro atractivo será a adopção de um sistema de tratamento de efluentes que promove a reutilização da água consumida, para uso nos jardins e áreas comuns, além do uso inteligente dos sanitários. Durante a construção, o empreendimento contará ainda com uma estação própria de tratamento de esgoto, que depois poderá ser transferida para outras obras.

As vendas dos apartamentos do Neo foram iniciadas na última semana e a entrega da obra está prevista para Fevereiro de 2012.
Atractivo para o imobiliário

Novos ventos começam a soprar no sector imobiliário. Segundo Suchodolski, a Asas chega ao mercado para consolidar os loteamentos com o contributo ambiental. Para o arquitecto, o uso racional dos recursos naturais é hoje um atractivo substancial num empreendimento imobiliário de alto padrão. Para executar estes projectos, procurou a cidade de Florianópolis por considerar que os habitantes estão à procura de mais qualidade de vida, a partir do contacto com a natureza.

O proprietário da Asas também se incluiu nesse grupo, após ter percorrido uma longa trajectória profissional, em grande parte vivenciada em São Paulo. Suchodolski passou pelos escritórios dos arquitectos Paulo Mendes da Rocha e Joaquim Guedes, além de ter sido responsável pela coordenação de desenho urbano para o PICCED-Pratt Institute de Nova York.

Para levar este projecto de sustentabilidade adiante, o arquitecto mudou-se com a família para Santa Catarina em 2007, onde fundou a promotora. Pretende continuar fiel aos empreendimentos com propostas diferenciadas que não agridam o meio ambiente. "A Asas não é só uma linha imobiliária. É um conceito. Eu não faria nada que não perseguisse metas sustentáveis", afirma. Assim como o Next Generation, os projectos futuros também devem ser direccionados às classes A e B.

Fonte:economico.sapo.pt

publicado por adm às 17:55

pesquisar
 
links
subscrever feeds