Energia Eolica

Setembro 23 2012

A Siemens revelou três designs para lâminas aerodinâmicas de turbinas eólicas, todos eles baseados na biologia dos dinossauros. A primeira lâmina, chamad DinoTails, aumenta a elevação e impulso da turbina, de forma silenciosa.

Quando o ar que flui a partir de cima, e o ar que chega por baixo da aresta superior de uma pá de turbina se encontram, criam turbulência, que pode arrastar e torná-lo ruidoso. A DinoTails quebra esse fluxo, reduzindo a turbulência”, explica a New Scientist.

A equipa de I&D da multinacional alemã criou também um dispositivo de neve em forma de pá, a DinoShells. Este design estende a lâmina para baixo, a um ponto em que se junta ao eixo principal, fazendo a turbina mais eficiente.

Ao último design foi dado o nome de Vortex Generator (sim, o nome não está relacionado com dinossauros). Este design possui pequenas barbatanas que forçam o ar para permanecer em contacto com a parte superior da lâmina durante mais tempo, o que aumenta a elevação.

Segundo a Siemens, estas três lâminas vão aumentar a eficiência das turbinas em 1,5%. No parque eólico de Altamont Pass, na Califórnia, esta percentagem é suficiente para suprir as necessidades energéticas de mais 2.500 casas.

fonte:http://greensavers.sapo.pt/2

publicado por adm às 22:55

Agosto 19 2011
    • Turbinas eólicas terão uma potência combinada de 145 mega watts (MW);

    • Brasil adjudicou três encomendas à Siemens na área da energia eólica em seis meses;

    • Encomendas offshore em todo o mundo já valem 11 mil milhões de euros.

A Siemens vai fornecer 63 aerogeradores tipo SWT-2.3-101 para cinco centrais de energia eólica onshore brasileiras, das quais quatro estão localizadas no estado de Ceará e uma em Piauí no nordeste brasileiro.

Cada turbina eólica que integra a encomenda adjudicada pela empresa de eletricidade pública Tractebel Energia, sediada em Florianópolis, terá uma potência de 2,3 mega watts (MW) e um rotor de 101 m de diâmetro. Após o comissionamento, previsto para fins de 2012, as cinco unidades terão uma potência combinada de 145 MW.

O Brasil é considerado um mercado chave na América do Sul para a energia eólica, uma vez que a estimativa dos especialistas aponta para a instalação de cerca de 5 GW de energia eólica até 2015. É de salientar que esta é a terceira encomenda adjudicada à Siemens no Brasil nos últimos seis meses.

Encomendas para turbinas offshore ascendem a 11 mil milhões de euros

 

A Siemens é líder mundial no mercado de parques eólicos construídos no mar (offshore), o segmento mais dinâmico deste sector. A carteira de encomendas da empresa para parques offshore em todo o mundo já vale quase 11 mil milhões de euros, e a empresa pretende agora reforçar a sua presença no segmento de aerogeradores em terra (onshore).

No ano fiscal de 2010, as receitas do Portefólio Ambiental – onde se incluem as soluções para energia eólica - cifraram-se em cerca de 28 mil milhões de euros, tornando a Siemens no maior fornecedor do mundo de tecnologias amigas do ambiente. Durante o mesmo período, os produtos e soluções da empresa permitiram aos nossos clientes uma redução das suas emissões de CO2 em 270 milhões de toneladas. Este montante é igual ao volume de emissões de CO2 por ano de megacidades como Hongkong, Londres, Nova Iorque, Tóquio, Deli e Singapura juntos.

Desde 2004 que o negócio da Siemens na energia eólica tem registado elevadas taxas de crescimento. Desde essa data, o número de colaboradores quase que decuplicou de 800 para aproximadamente 7.700 e as receitas cresceram por um factor de 12 para quase 3,2 mil milhões de euros. A regionalização, a fim de estreitar o contato com os clientes, será outro fator de maior importância. Por isso, a Siemens conduzirá, de futuro, os seus negócios de energia eólica não a nível da divisão, mas a partir de três unidades de negócio regionais localizadas nos EUA, na Ásia e na Europa.

fonte:www.swe.siemens.com/

publicado por adm às 23:14

Julho 03 2011

A Siemens vai investir, ao longo dos próximos dois anos mais, de 150 milhões de euros na expansão e desenvolvimento do seu negócio na energia eólica, nomeadamente com a criação, na Dinamarca, de dois centros de Investigação & Desenvolvimento (I&D) para soluções e produtos para este mercado.

Nos últimos 20 anos, a Siemens instalou em águas europeias mais de 600 turbinas eólicas offshore com uma capacidade combinada de mais de 1.800 MW, tendo assegurado para os próximos anos uma carteira de projetos offshore que totalizam 3.600 MW. A empresa acaba de instalar o protótipo da próxima geração de aerogeradores offshore em Høvsøre, na Dinamarca. A nova turbina eólica SWT-6.0-120, com uma potência de 6 MW e um rotor de 120 metros de diâmetro, utiliza a inovadora tecnologia de accionamento directo. Além disso, estabelece um novo padrão de baixo peso (menos de 350 toneladas) para aerogeradores offshorede grandes dimensões, o que irá contribuir para uma significativa redução do custo da energia nos parques eólicos offshore, como também nas torres e estruturas de apoio.

Neste momento, a empresa está a realizar testes exaustivos para validar o desempenho do novo aerogerador antes de o produto ser oficialmente lançado no mercado. Durante este ano ainda, a Siemens irá instalar protótipos adicionais de aerogeradores SWT-6.0-120 para teste e validação. Alguns aerogeradores de 6MW da pré-serie serão instalados durante 2012 e 2013, para mais testes e otimização do desempenho da turbina. A produção em série está prevista para 2014.

A energia eólica faz parte integrante do Portefólio Ambiental da Siemens. No ano fiscal de 2010, as receitas do Portefólio cifraram-se em cerca de 28 mil milhões de euros, tornando a Siemens no maior fornecedor do mundo de tecnologias amigas do ambiente. Durante o mesmo período, os produtos e soluções da empresa permitiram aos seus clientes uma redução das suas emissões de CO2 em 270 milhões de toneladas. Este montante é igual ao volume de emissões de CO2 por ano de megacidades como Hongkong, Londres, Nova Iorque, Tóquio, Deli e Singapura juntos.

fonte:http://www.greensavers.pt/

publicado por adm às 10:26

Março 02 2011

A Siemens vai fornecer 34 aerogeradores de 2,3 MW cada um para quatro novos parques eólicos a serem construídos no Nordeste pela ERSA – Energias Renováveis S.A. A Siemens contribuiu efetivamente com o cliente na otimização dos parques e na busca pelo melhor aproveitamento energético do empreendimento. Localizados no Rio Grande do Norte (RN), os empreendimentos – Costa Branca, Juremas, Macacos e Pedra Preta – vão ser responsáveis pela geração de 78,2 mW de energia limpa. O contrato foi assinado em Dezembro, sendo que a ERSA já possui licença de instalação para todos os projetos e planeja iniciar as obras as obras ainda neste semestre.

De acordo com Roberto Sahade, co-presidente da ERSA, os equipamentos da Siemens foram escolhidos por seu alto grau de tecnologia agregada e por serem bastante adequados às condições de vento existentes no Brasil, e em particular, nos parques da ERSA localizados no Rio Grande do Norte. “A Siemens possui comprovado sucesso em aplicações off-shore e transportou este conhecimento para os equipamentos on-shore, como por exemplo confiabilidade do equipamento e a alta eficiência do aerogerador, graças ao design na construção exclusiva das pás”, afirmou Sahade.

A Siemens é líder global em energia eólica nas aplicações off-shore, e vem, ano a ano, aumentando sua participação de mercado também nas aplicações em terra (on-shore). Atualmente está entre os três maiores fabricantes do mercado, mas vem apresentando taxas de crescimento aceleradas perante seus competidores. Somente no exercício de 2009, a Siemens instalou mais de 2.100 megawatts com novas turbinas eólicas, aumentando sua base instalada para cerca de 11.000 megawatts.

De acordo com o diretor de energias renováveis da Siemens no Brasil, Eduardo Ângelo, a empresa trabalha com a expectativa de aumentar ainda mais sua participação no mercado brasileiro de eólicas. “Estamos em negociações adiantadas com outros clientes que também venceram os recentes leilões de energias renováveis no Brasil e acreditamos fechar novas encomendas muito brevemente”, afirma. “O Brasil entrou definitivamente no radar estratégico da Siemens e contribuirá efetivamente para aumento da participação da empresa no mercado de energias renováveis”.

O mercado brasileiro apresenta enorme potencial para energia eólica. Até recentemente, as estimativas eram da ordem de 140.000 megawatts, com medições realizadas em torres de 50 metros de altura. Hoje, já há estudos sinalizando que, em ventos medidos a 100 metros de altura, este potencial poderá dobrar. O setor, que hoje tem mais de 900 megawatts de capacidade instalada no país, conta com um portfólio acima de 4 gigawatts em empreendimentos eólicos a ser instalados até 2013, resultado dos contratos fechados nos leilões de Dezembro de 2009 e Agosto de 2010.

A energia eólica faz parte do portfólio ambiental da Siemens. Em 2010, o faturamento em tecnologias ambientais atingiu 28 bilhões de euros, tornando a Siemens a maior fornecedora de tecnologias ambientais do mundo. No mesmo período, os produtos Siemens ajudaram os clientes da empresa a reduzirem suas emissões de dióxido de carbono (CO2) em 270 milhões de toneladas, o equivalente as emissões anuais de megacidades como Hong Kong, Londres, Nova York, Tóquio, Deli e Cingapura. Esse total também equivale ao dobro de CO2 emitido pelo estado de São Paulo no último levantamento feito pela Cetesb em 2005.

A Siemens Energy Sector é líder mundial de um completo portfólio de produtos, serviços e soluções para a geração, transmissão e distribuição de energia e para a extração, conversão e transporte de óleo e gás. No exercício fiscal de 2010 (terminado em 30 de setembro), o Setor de Geração de Energia apresentou um faturamento de aproximadamente €25,5 bilhões e recebeu novos pedidos que totalizam mais de €30,1 bilhões, declarando lucros superiores a €3,6 bilhões. Em 30 de setembro de 2010, o Setor de Geração de Energia apresentou uma força de trabalho superior a 88 mil funcionários. [www.siemens.com/energy].

fonte:http://www.revistafator.com.br/

publicado por adm às 23:45

Janeiro 04 2011

A empresa americana MidAmerican Energy sedeada em Des Moines, Iowa, encomendou à Siemens 258 aerogeradores eólicos, com uma capacidade de 2,3 MW cada, para equipar vários parques eólicos naquele estado norte-americano. Depois do comissionamento, previsto para Janeiro de 2012, a capacidade combinada destes aerogeradores, de 593 MW, será suficiente para abastecer 190 mil habitações com energia limpa, assegura a Siemens em comunicado.

«A Siemens já é líder mundial em parques eólicos offshore», disse René Umlauft, CEO da Unidade de Negócio Siemens Energy Renewable. «Agora, somos igualmente bem sucedidos no fornecimento de aerogeradoresonshore. Recentemente, assinámos um acordo com a empresa Enel Green Power para o fornecimento de 260 aerogeradores eólicos para vários parques na Europa. A nossa maior encomenda onshore de sempre nos Estados Unidos da América mostra que estamos no bom caminho para nos tornarmos, até 2012, um dos três líderes mundiais para o fornecimento de aerogeradores eólicos», acrescentou Umlauft.

Os aerogeradores eólicos fazem parte do porta-fólio ambiental da Siemens. Em 2010, as encomendas oriundas deste porta-fólio totalizaram 28 mil milhões de euros, o que fez da Siemens o maior fornecedor mundial de tecnologias amigas do ambiente. No mesmo período, os produtos e soluções da Siemens permitiram aos seus clientes reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO2) em 270 milhões de toneladas, um montante igual às emissões anuais de CO2 das cidades de Hong Kong, Londres, Nova Iorque, Deli e Singapura, avança a empresa.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 23:10

Julho 30 2010

A Siemens, através do sector Energy, lançou um novo aerogerador de accionamento directo SWT-3.0-101, com uma potência nominal de 3 MW. Este novo equipamento difere dos restantes já disponíveis no mercado, graças ao conceito de accionamento directo com gerador de íman permanente. Com apenas metade das peças de uma turbina eólica convencional e menos de metade das partes rotativas, o novo aerogerador precisa de menos manutenção e aumenta a rentabilidade dos clientes. A nova turbina eólica de accionamento directo é caracterizada por um rotor com um diâmetro de 101 metros, disponível a nível mundial, tanto para projectos em terra, como no mar. O novo SWT-3.0-101 contém um accionamento sem caixa redutora, com gerador síncrono compacto, com excitação permanente. O gerador do protótipo, instalado na Dinamarca em 2009, foi construído pela Unidade de Negócio de Grandes Accionamentos da Siemens Industry. A principal vantagem dos geradores com íman permanente reside no seu designsimples e robusto, que dispensa qualquer energia de excitação, anéis colectores ou sistemas de comando da excitação, o que permite uma eficiência, mesmo em períodos de carga baixa.

 

O novo gerador tem um comprimento de 6,8 metros e um diâmetro de apenas 4,2 metros, a gôndola pode ser transportada por veículos de dimensões standard. Das cinco componentes chave de um aerogerador – pá, rotor, gôndola, torre e controlador – todas, com excepção da gôndola, são adaptações de equipamentos do portfólio da Siemens. Ao recorrer a componentes já com provas dadas, a Siemens procurou eliminar os riscos tradicionalmente associados à introdução de um produto tão inovador no mercado. O passo seguinte será a instalação, ainda este ano, da série zero de até 10 aerogeradores do tipo SWT-3.0-101 em diversas partes do mundo. O início da produção em série está previsto para 2011. No ano fiscal de 2009, as receitas deste portefólio foram de cerca de 23 mil milhões de euros, tornando a Siemens num dos maiores fornecedores do mundo de tecnologias amigas do ambiente. Durante o mesmo período, os produtos e soluções da empresa permitiram aos seus clientes uma redução das suas emissões de CO2 em 210 milhões de toneladas métricas, um montante similar ao volume de emissões de CO2 por ano de Nova Iorque, Tóquio, Londres e Berlim juntas.

Fonte:www.siemens.com/energy

publicado por adm às 23:20

Maio 05 2010

A través do sector Energy, a Siemens anunciou que o novo aerogerador de accionamento directo SWT-3.0-101 está pronto a ser comercializado. Com uma potência nominal de 3 megawatts, este novo equipamento distingue-se pelo graças ao “conceito de accionamento directo com gerador de íman permanente”.

 

Segundo o comunicado da Siemens, este novo aerogerador, “com apenas metade das peças de uma turbina eólica convencional e ainda menos de metade das partes rotativas, necessita de menos manutenção e permite “aumentar a rentabilidade dos clientes”.

A nova turbina eólica de accionamento directo caracteriza-se por um rotor com um diâmetro de 101 metros, que está agora disponível a nível mundial, tanto para projectos em terra, como no mar.

“O novo SWT-3.0-101 oferecerá mais 25% de energia que o nosso aerogerador actual de 2,3 megawatts, mas terá menos peso e apenas metade das peças”, referiu o CTO da Siemens Wind Power Business Unit, Henrik Stiestal.

“Este aerogerador foi concebido com o nosso objectivo de reduzir a complexidade, a fim de aumentar tanto a fiabilidade como a rentabilidade”, explicou o mesmo responsável, revelando que, no futuro, acredita que este “aerogerador de accionamento directo será um investimento fiável a realizar na área de produção energética”.

Este equipamento contém um accionamento sem caixa redutora, com gerador síncrono compacto com excitação permanente. A principal vantagem dos geradores com íman permanente reside “no seu design simples e robusto, que dispensa qualquer energia de excitação, anéis colectores ou sistemas de comando da excitação”. Desta forma, é possível alcançar uma “elevada eficiência, mesmo em períodos de carga baixa”.

fonte:www.construir.pt

publicado por adm às 23:10

pesquisar
 
links
subscrever feeds