Energia Eolica

Julho 21 2012

Este aerogerador de eixo vertical é adequado a condições de ventos variáveis, funciona sob ventos suaves, não consome energia ao reiniciar e pode ser colocado diretamente no telhado, tendo recentemente sido instalado no campus da Universidade de Keele, no Reino Unido, um protótipo.

McCamley UK, uma empresa que aposta em inovar no campo das energias renováveis e está alojada no Parque de Ciência e Negócios da Universidade de Keele, instalou recentemente no campus desta Universidade um protótipo de uma inovadora turbina aéolica.

O novo conceito de aerogerador foi pensado tendo em vista a produção de energia limpa em meio urbano e insere-se na categoria de aerogeradores de eixo vertical, um design alternativo aos dos aerogeradores convencionais.

Esta alteração no design permite à nova turbina eólica funcionar perfeitamente nas condições muito variáveis de vento características das cidades, e gerar energia limpa mesmo sob ventos de velocidades inferiores a 2-3 m/s.

Equipado com um mecanismo de reinício automático, o aerogerador agora instalado pela primeira vez no Reino Unido não consome energia ao voltar a entrar em funcionamento após um fase de inatividade e, ao possuir um sistema de autorregulação, mantém uma velocidade constante mesmo sob rajadas de vento fortes.

Por fim, ao ser mais silencioso, causar menos vibrações ao nível do solo e ao não necessitar de ser colocado no topo de um mastro, pode ser instalado diretamente no telhado de edifícios de habitação ou escritórios.

Nos próximos seis meses está previsto o desenvolvimento de um modelo de 12 kW mas a potência deste novo aerogerador poderá, eventualmente, ser aumentada até vários megawatts.

fonte:http://naturlink.sapo.pt/N

publicado por adm às 00:37

Julho 21 2012

Nos primeiros seis meses deste ano, a Europa conectou à rede 132 novas turbinas eólicas offshore, com uma capacidade combinada de 532MW, um aumento de 50% com relação ao mesmo período do ano passado, quando foi alcançado 348,1MW.

Além disso, 211 turbinas foram erguidas, uma alta de 93%, e 13 fazendas começaram a ser construídas. Quando concluídas, estas instalações serão responsáveis pela geração de 3762MW.

Os dados são do relatório de tendências e estatísticas da Associação de Energia Eólica Europeia (EWEA), divulgado nesta sexta-feira (20).

 “O setor eólico offshore está cada vez mais atraindo interessados, incluindo fundos de pensão e outros investidores institucionais e corporativos. Mas seria bom ver mais atividade no sul da Europa, onde empregos, investimentos e crescimento são necessários urgentemente”, afirmou Christian Kjaer, presidente da EWEA.

O primeiro semestre de 2012 no setor foi dominado pelo Reino Unido, com a instalação de oito novas usinas. Alemanha e Dinamarca aparecem em seguida com duas.

De acordo com a EWEA, 1503 turbinas eólicas offshore estão conectadas à rede em 56 fazendas em 10 países, gerando um total de 4336MW, o suficiente para atender a demanda de quatro milhões de residências.

fonte:http://www.institutocarbonobrasil.org.br/

publicado por adm às 00:36

Julho 17 2012

Primeiro aerogerador foi instalado no Pais em 1992, hoje são aproximadamente mil equipamentos em 71 parques de ventos em todo o País.

Mil aerogeradores por ano. Esse é o ritmo de crescimento prometido pelos parques eólicos no Brasil nos próximos três anos. Essa fonte de energia comemora 20 anos em 2012 como a de maior crescimento no País, com investimentos estimados em R$ 50 bilhões. O 3º Brazil Windpower comemora a data realizando o maior evento do setor da América Latina, trazendo 170 empresas para mostrar as últimas inovações em um dos mercados mais promissores do mundo.

O primeiro aerogerador foi instalado no Brasil na ilha de Fernando de Noronha em 1992. Desde então, mil equipamentos foram instalados em 71 parques eólicos no País. O campeão no uso dessa matriz no sistema elétrico é o estado do Ceará, mas estima-se que o Rio Grande do Norte assumirá a liderança em 2014, com 40 usinas que deverão entrar em funcionamento.

A melhor notícia é a formação de uma indústria com a cadeia de fornecimento completa, estimulada pela obrigatoriedade de 60% de índice de nacionalização dos aerogeradores que quiserem obter financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ao todo, são 12 mil empregos gerados na área, que podem aumentar nos próximos anos.

O Brazil Windpower é uma promoção da ABEEólica (Associação Brasileira de Energia Eólica), do GWEC (Conselho Mundial de Energia Eólica, com sede em Bruxelas) e do Grupo CanalEnergia. O evento está inserido na agenda anual de eventos de energia eólica e tem o apoio da AWEA (Associação Americana), EWEA (Associação Europeia), dentre outros. [www.brazilwindpower.org].

fonte:http://www.revistafator.com.br/v

publicado por adm às 23:41
Tags:

Julho 09 2012

O complexo tem capacidade para gerar 294 megawatts, o suficiente para consumo de uma cidade de 540 mil residências

Foi inaugurado, nesta segunda-feira (9), o maior complexo de energia eólica da América Latina no município de Caetité, sudoeste da Bahia. O Complexo Eólico Alto Sertão-I tem capacidade para gerar 294 megawatts, o suficiente para consumo de uma cidade de 540 mil residências, ou 2,16 milhões de habitantes.

 

Administrado pela empresa Renova Energia, o complexo recebeu investimento de R$ 1,2 bilhão, o que possibilitou a instalação de 14 parques eólicos nos municípios de Caetité, Igaporã e Guanambi, e geração de 1.300 empregos diretos e indiretos.

Participaram da inauguração o governador Jaques Wagner e também os secretários estaduais do Meio Ambiente (Eugênio Spengler), da Casa Civil (Rui Costa), do Planejamento (José Sergio Gabrielli), e da Indústria, Comércio e Mineração (James Correia).

O diretor-presidente da Renova Energia, Mathias Becker, informou que a empresa vai construir novos empreendimentos na Bahia, com inauguração prevista para 2016.

fonte:http://www.correio24horas.com.br/

publicado por adm às 23:16

Julho 06 2012

Se a estratégia da Renova Energia for bem sucedida, o Brasil poderá produzir a energia eólica mais barata do mundo – e ser em breve o quarto maior mercado eólico do Planeta. O projecto começou na semana passada a operar na maior fazenda eólica da América do Sul, no nordeste brasileiro, e já prepara outras seis fazendas para o próximo ano.

Detida pela Light e Cemig, a Renova Energia estima que as suas turbinas irão girar 50% do tempo, ao contrário das suas congéneres europeias, que têm um desempenho médio de 25%. Os ventos que sopram sobre o Atlântico no nordeste brasileiro são os mais consistentes do mundo, segundo o American Meteorological Society, o que permite que as empresas usem turbinas mais baratas e leves.

O Brasil planeia duplicar a sua capacidade de geração de energia eólica em 2013, pelo que a Renova espera que as suas quintas eólicas possam produzir energia a um quarto do preço que é necessário para tornar os projectos europeus viáveis.

“Não se sabe ao certo se estas turbinas terão o desempenho esperado”, explicou ao Planeta Sustentável Unai Otazua Aranguren, director de energia renovável da consultoria Garrad Hassan Group. “O vento aqui tem um comportamento diferente do que temos na Europa e Estados Unidos.”

Esta estratégia conta também com o apoio do Governo brasileiro, que está a promover projectos de energia eólica e outras renováveis, no sentido de diversificar a matriz energética – as centrais hidroeléctricas representam 66% da capacidade instalada. Por outro lado, as quintas eólicas podem compensar o fornecimento de electricidade em mesas mais secos.

Segundo a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), a energia eólica irá instalar 10 GW entre 2012 e 2020, o equivalente a um investimento global de €27 mil milhões (R$68 mil milhões).

Em 2011, o Brasil foi o 11º mercado em energia renovável, de acordo com o Global Wind Energy Council. Dentro de poucos anos, estará no top 5.

fonte:http://greensavers.sapo.pt/

publicado por adm às 22:44
Tags:

Julho 03 2012

A multinacional de mobiliário Ikea acaba de comprar 30 novas turbinas eólicas para o seu parque de Glötesvålen, na Suécia, naquele que é um dos maiores projectos de energia eólica na Europa em 2012.

A empresa sueca tem como objectivo usar apenas energia de fontes renováveis nas suas operações globais e conta actualmente com 96 turbinas eólicas a nível mundial, em construção ou já operacionais.

Segundo a Ikea, o novo parque eólico de Glötesvålen deverá produzir 220 GWh (90MW) por ano, o equivalente às necessidades energéticas anuais de cerca de 48 mil lares. A construção arranca este verão em Glötesvålen, uma das melhores localizações em termos de captação de vento, na Suécia, e prevê-se que esteja concluída entre final de 2014 e início de 2015.

“Queremos ter um papel de liderança na passagem para uma sociedade com baixas emissões de carbono, usando 100% de energia renovável nas operações globais. Utilizarmos apenas energia eólica na Suécia é um importante passo para atingirmos este objectivo. Seremos auto-suficientes na electricidade, vamos gerar o suficiente para fornecermos todos os edifícios e operações IKEA neste País e ainda vamos conseguir fornecer lojas IKEA noutros países”, comentou o director de sustentabilidade da Ikea, Steve Howard.

O responsável, que no ano passado terá passado por Portugal  para discutir a estratégia de sustentabilidade global da marca, explicou ainda que nos próximos três anos a marca deverá investir €590 milhões em energias renováveis, um valor que inclui este e outros projectos.

fonte:http://greensavers.sapo.pt

publicado por adm às 23:09

pesquisar
 
links
subscrever feeds