Energia Eolica

Março 02 2011

Países mediterrânicos devem olhar para a experiência da Europa e apostar no aproveitamento da energia eólica marinha

Os países mediterrânicos, incluindo Portugal, devem aprender com a experiência das energias eólica marinha da Europa e aproveitar os recursos desenvolvendo plataformas flutuantes, disse esta terça-feira a organização Oceana, organização internacional da conservação da natureza.

A Oceana revela, de acordo com a Lusa, que no sul da Europa não existem parques eólicos no mar, o que se deve «ao menor recurso eólico disponível» e às «grandes profundidades perto da costa e à pouca iniciativa e impulso dos diferentes governos».

«É necessário que Portugal e os países mediterrânicos aprendam com a experiência conseguida no resto do continente e que enfrentem novos desafios tecnológicos com o desenvolvimento de plataformas flutuantes», incentiva a organização.

Xavier Pastor, director executivo da Oceana na Europa defende em comunicado que só é possível «um verdadeiro avanço se continuarmos a potenciar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação e se os diferentes governos se decidirem a dar um verdadeiro impulso a este sector».

A Oceana aproveita ainda para louvar «os avanços tanto nas Canárias, com o lançamento do Atlas Eólico Marinho, como em Portugal, com a proposta de desenvolver um primeiro protótipo de aerogerador flutuante».

A organização internacional da conservação da natureza relembra ainda a importância da redução das emissões de dióxido de carbono proveniente sobretudo da queima de combustíveis fósseis, como o petróleo.

fonte:http://www.tvi24.iol.pt/

 

publicado por adm às 23:43

pesquisar
 
links