Energia Eolica

Agosto 10 2011

Em parceria com a Aeris, empresa de energia eólica ficará instalada no Complexo Industrial de Pecém

Mudando a estratégia anterior para o Ceará, a subsidiária brasileira da grupo indiano Suzlon de Energia Eólica deverá começar a fabricar pás eólicas já em janeiro do próximo ano. Antes, as projeções mais otimistas da empresa eram de operar em março de 2012. O processo foi agilizado pois a Suzlon firmou uma parceria com a fabricante Aeris Energy - que já está construindo uma estrutura no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, com investimento de R$ 50 milhões. "Iniciamos uma série de discussões com a Aeris e chegamos à conclusão de que, se fizéssemos essa parceria com eles na linha de produção, ganharíamos três meses", explica o presidente da Suzlon no Brasil, Arthur Lavieri.

Vantagem logística

No início do ano, a empresa encarou uma indefinição em relação ao local onde se instalaria. "Os terrenos que estávamos analisando não ficavam no Pecém. E o fato de a Aeris estar no Pecém é perfeito. É uma linha de produção com menor custo logístico. E a Aeris trouxe uma série de profissionais de larga experiência em engenharia aerodinâmica", comemora. Segundo ele, apesar do novo cronograma, nada impede que a companhia volte a pensar em uma fábrica própria. Com o tempo, afirma, pode-se reavaliar a possibilidade de erguer o empreendimento ou mesmo ampliar a capacidade da unidade do Pecém, já que a Suzlon possui uma carteira com 600 MW (MegaWatts) de potência. A unidade de produção que operará a partir de janeiro tem capacidade anual de 200 MW.

200 empregos

De acordo com Lavieri, a alteração não interfere na criação de empregos prevista para a fábrica, de 200 vagas. Ele diz, inclusive, que os cearenses representam entre 80 e 80% dos postos ocupados da empresa.

Já o investimento, previamente pensado de R$ 30 milhões, foi reduzido a R$ 10 milhões, pelo fato de já haver uma estrutura existente. Lavieri frisa: "se você somar nosso investimento com o da Aeris, são R$ 60 milhões", o dobro do que se esperava para a fábrica da Suzlon. A empresa será responsável pelos aportes relativos a maquinário, moldes das pás, equipamentos auxiliares, treinamento e suporte técnico, projeto de engenharia e processo de certificação de qualidade. À Aecabe a construção da área industrial, já em andamento e contratação de pessoal das linhas de produção.

DINAMARQUESA
Vestas terá produção de naceles no Ceará

A companhia dinamarquesa Vestas iniciará, até dezembro deste ano, em sua nova unidade a ser encravada no município de Maracanaú, a montagem de naceles, compartimentos instalados no alto da torre de geração de energia eólica e fundamentais no processo por abrigarem todo o mecanismo do gerador. A fábrica terá capacidade de produzir 400 naceles dos modelos V90 e V100, totalizando cerca de 800 MW anuais.

No mesmo local, a Vestas pretende abrir um centro de treinamento de pessoal e de serviços e manutenção. A área também terá um centro de fornecimento de peças, que será responsável pela disponibilização e entrega na região.

Fortalecimento

A área em que ficará localizado o empreendimento tem mais de 10 mil metros quadrados e faz parte do processo de fortalecimento da Vastas no Brasil. Neste ano, a empresa europeia recebeu encomendas de 380 MW no Brasil, totalizando 600 MW em ordens de compra. Até o fim de 2010, instalou 204 MW.

fonte:http://diariodonordeste.globo.com

publicado por adm às 22:01

pesquisar
 
links