Energia Eolica

Outubro 11 2010

O Banco Europeu de Investimentos (BEI) e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) vão conceder a Cabo Verde um empréstimo de 45 milhões de euros para a construção de quatro parques eólicos.

Os parques serão construídos nas ilhas de Santiago, São Vicente, Boavista e Sal.

O BEI e BAD consideram "modelar" o programa de energias renováveis de Cabo Verde, a primeira produção em larga escala de energia eólica de África, segundo noticia hoje a edição online do jornal cabo-verdiano A Semana.

Num comunicado, o BEI comunica que, em parceria com o BAD, vai ajudar a financiar o parque eólico de Cabo Verde.

A colaboração entre o BEI, que emprestará 30 milhões de euros, e o BAD, 15 milhões, é fruto de um acordo assinado em Washington por Plutarchos Sakellaris (BEI), representantes do BAD e Cristina Duarte, ministra das Finanças de Cabo Verde, que participa naquela cidade na assembleia anual do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O custo global do projecto está orçado em 60 milhões de euros e a verba a disponibilizar destina-se à construção dos quatro parques eólicos nas ilhas de Santiago, São Vicente, Boa Vista e Sal.

fonte:diariodigital

publicado por adm às 22:49

Outubro 10 2010

A Câmara de Mirandela vai canalizar as contrapartidas financeiras a que tem direito pela instalação no concelho de um parque eólico para um fundo financeiro destinado a apoiar projectos de eficiência energética de iniciativa pública ou privada.

O protocolo para a criação do Fundo de Desenvolvimento Regional da Terra Quente vai se formalizado hoje, em Mirandela.

Segundo explicou o presidente da Câmara, José Silvano, qualquer habitante da região que queira investir nas energias renováveis pode aceder a este novo instrumento financeiro.

De acordo com o autarca, o fundo financiará a parte que não é comparticipada pelos mecanismos legais já existentes numa modalidade idêntica a um empréstimo reembolsável, mas sem juros.

Este fundo irá ser aprovisionado pelas receitas da produção de energia do parque eólico com uma potência de 25 megawatt que irá ser instalado nas serras de Franco, Orelhão e Passos, no concelho de Mirandela.

A vencedora do concurso de exploração foi a Perform 3, empresa que vai dar ao município 2,5 por cento do valor anual da facturação da produção elétrica como uma das contrapartidas pela instalação.

«Em vez de ficarmos com o dinheiro, decidimos constituir um fundo com uma valor inicial de um milhão de euros disponibilizado pela empresa a que acrescerão os 2, 5 por cento anuais», disse o autarca.

Segundo José Silvano, em breve, o «fundo pode chegar aos dez milhões de euros para financiar projectos na região».

O autarca acredita que será «um incentivo importante à aposta na eficiência energética até porque nem sempre as pessoas dispõem da parte (financeira) que lhes corresponde na compartição destes projectos».

O fundo facilitará o acesso a esses montantes em forma de empréstimo sem juros para investimentos em projectos que podem ir da modernização de instalações elétricas a sistemas de aproveitamento das energias renováveis.

 

fonte:Sol/Lusa

publicado por adm às 22:09

Setembro 08 2010

A sueca Ikea comprou à espanhola Gamesa seis parques eólicos em localidades alemãs, no âmbito de um programa de investimento em energias renováveis.

 

Os parques, que têm uma potência instalada de 45 megawatts (MW), situam-se em quatro localidades alemãs, na região Oeste do país, noticiou hoje o jornal espanhol Cinco Dias, citando um comunicado da empresa espanhola, que não divulgou o valor do negócio.

Com esta aquisição, o grupo sueco dá mais um passo na sua recente aposta nas energias renováveis. A empresa já tem em curso em diferentes lojas (Brooklyn, nos Estados Unidos, Gante, na Bélgica, e Rostock, na Alemanha) projectos-piloto de produção de energia solar (fotovoltaica).

Recentemente o grupo sueco investiu dois milhões de euros na instalação de painéis fotovoltaicos na loja de Sevilha.

O objectivo é que em 2015 pelo menos 150 lojas Ikea tenham instalado sistemas de produção fotovoltaica.

Outras grandes empresas como as norte-americanas Google e Wal-Mart também iniciaram investimentos em energias renováveis, nomeadamente nas eólicas.

fonte:economia.publico

publicado por adm às 23:16

Junho 29 2010

Marrocos já tem aquele que é considerado pelas autoridades o maior parque eólico do continente africano, criado no âmbito de um programa que visa conseguir que 42 por cento da energia do país tenha origem renovável em 2020.

O parque Tanger I «Dahr Saadane», inaugurado na segunda feira, tem uma potência instalada total de 140 megawatts e uma produtividade média anual de 536 gigawatts por hora, o que equivale a 2,5 por cento do consumo energético nacional.

Durante a inauguração, presidida pelo rei Mohamed VI, foi assinada a convenção de um plano integrado de energia eólica que, como parte de um programa de desenvolvimento de energias renováveis, projecta que 14% da energia produzida em Marrocos seja de proveniência eólica dentro de uma década.

Diário Digital / Lusa

publicado por adm às 23:04

Junho 01 2010

Está já em construção o terceiro parque eólico no concelho de Seia. As obras, que tiveram início no final do mês de Março e se prolongam até Novembro, estão a decorrer nas freguesias de Teixeira e Vide para, no denominado “Parque Eólico de Balocas”, serem instalados 14 aerogeradores com a potência unitária de 2000 kW (quilowatt), distribuídos ao longo de duas linhas de cumeada, os quais convergem entre as cotas 850 e 1200 da serra do Açôr.


A entidade responsável pelo projecto é a ENEOP2, empresa resultante do consórcio constituído pelos quatro maiores promotores de energia eólica em Portugal: ENERNOVA, Termoeléctrica Portuguesa, GENERG, FINERGE e ENERCON, adjudicatária do concurso de potência eólica lançado pelo Governo em 2005.


Os aerogeradores a instalar, com torres em betão, têm 85 metros de altura e um diâmetro de rotor de 82 metros. As máquinas são modelos de última geração, salientando-se o facto de todo o equipamento e tecnologia ser totalmente produzido em Portugal, sublinhou Lobo Gonçalves, administrador da empresa, durante uma visita ao parque na passada quinta-feira. «É um parque de tecnologia portuguesa e incorporação nacional, uma vez que o grupo vai deixar de usar torres metálicas – cuja chapa é importada – e efectuar uma inovação enorme, que é construir torres de betão», salientou.


Lobo Gonçalves congratulou-se com o facto de a construção do parque de Balocas já ter iniciado porque a Câmara de Seia «teve uma atitude que raramente se encontra nos outros municípios, que é licenciar quando é devido licenciar». «Aqui, os procedimentos foram os que são normais e expectáveis, mas que poucas vezes se consegue», estando satisfeito com o facto de o parque ter iniciado a sua construção no prazo previsto.
António Pinto Moreira, responsável pela obra, adiantou que a obra teve início nos finais de Março e já estão duas fundações concluídas e betonadas e duas já com a armadura pronta. Para breve, está previsto o início da montagem das torres, às quais se segue a montagem da parte mecânica.


Os 14 aerogeradores serão ligados entre si, ao nível dos respectivos postes de transformação, colocados no interior das torres, e o edifício de comando e a subestação, através de uma rede subterrânea de média tensão. Por via aérea será apenas a linha de transporte até à subestação de Folques (Arganil), local onde depois será feito o escoamento da energia produzida através da rede eléctrica nacional. A linha eléctrica, com 24,5 km de extensão, vai ter início no Parque Eólico de Pedras Lavradas II e vai servir, além do parque de Balocas, os parques eólicos da Senhora das Necessidades e do Açor II.


Com uma potência máxima de 28 MW, o parque vai ter um investimento de 38 milhões de euros e, em ano médio, a estimativa de produção anual é de 70 mil MWh, equivalente para alimentar todos os aglomerados populacionais do concelho de Seia, até ao total de 35 mil habitantes.
O Parque Eólico de Balocas, o terceiro a ser instalado no concelho de Seia, vai gerar receitas para o Município de 2,5 por cento, correspondendo a cerca de 130 mil euros por ano, que se juntarão à renda anual de 100 mil euros dos parques eólicos da Serra da Alvoaça e das Pedras Lavradas.


ENEOP2 instala mais dois parques na zona

Na zona, a ENEOP2 também prevê arrancar brevemente a construção dos parques eólicos de Pedras Lavradas II, que abrange as freguesias de Teixeira (Seia), Erada e Sobral de S. Miguel (Covilhã) e da Senhora das Necessidades, na freguesia de Piódão (Arganil).
Para os Parques Eólicos de Pedras Lavradas II e Senhora das Necessidades prevê-se a instalação de, respectivamente, dez e quatro aerogeradores de 2000 kW, ao longo dos troços das cumeadas. Na envolvente destes parques eólicos, a empresa está também a construir os parques eólicos de Açor II e Cadafaz II, com um total de uma potência de 90 MW.


Refira-se que os parques eólicos de Balocas, Pedras Lavradas II e Senhora das Necessidades têm por objectivo, a produção de energia eléctrica a partir da força do vento, fonte de energia não poluente e renovável, contribuindo para a prossecução do cumprimento dos compromissos internacionalmente assumidos por Portugal, relativamente às emissões atmosféricas e no âmbito da Directiva Comunitária das Fontes Renováveis de Energia, aprovada em Setembro de 2001.

fonte:www.portadaestrela.com

publicado por adm às 22:26

Abril 28 2010

A Alemanha abriu um novo capítulo no abastecimento de energia do país.

O ministro da Energia alemão, Norbert Roettgen, inaugurou um parque eólico com 12 aerogeradores de grande potência no mar do Norte.

Considerado pelo porta-voz da Federação de Energia Eólica como o “último grito da modernidade”, o “Alpha Ventus” custou 250 milhões de euros e foi instalado a 45 quilómetros ao largo da ilha de Borkum.

Os aerogeradores têm 150 metros de altura, uma altura muito superior à normal dos parque eólicos situados em alto mar e estão instalados a 30 metros de profundidade.

Cada turbina tem uma capacidade de cinco megawatts, o que perfaz um total de 60 megawatts.

Este parque experimental deve fornecer energia eléctrica suficiente para 50 mil residências e vai servir de laboratório de pesquisa sobre a energia eólico e o ambiente e o impacto dos aerogeradores na vida de várias espécies marinhas e de pássaros.

A Alemanha já anunciou que vai investir 40 milhões de euros em mais quatro parques eólicos que vão ser instalados em Cabo Verde.


Fonte:euronews

publicado por adm às 23:19

Abril 19 2010
Está em fase avançada de construção a segunda fase do parque eólico nas freguesias de Carreço e Outeiro, um dos projectos da ENEOP2, que tem como accionistas os promotores eólicos a Enercon, Enernova – Novas Energias, Generg Expansão, Finerge – Gestão de Projectos Eólicos e TP – Sociedade Térmica Portuguesa.

O novo parque eólico surge no âmbito do contrato de atribuição de capacidade de injecção de potência na rede do sistema eléctrico de serviço público para energia eléctrica produzida em centrais eólicas, celebrado em 27 de Outubro de 2006, entre a Direcção Geral de Geologia e Energia e a ENEOP – Eólicas de Portugal SA.

O projecto, que vai ter seis aerogeradores com dois MW de potência, integra a instalação de uma subestação e edifício de comando, postos de transformação, rede interna de cabos, faixas envolventes de protecção e implica ainda a construção de acessos viários.

A empresa já arrendou os necessários terrenos a privados e às juntas de freguesia, tendo a Câmara Municipal de Viana do Castelo declarado a sua concordância com a localização do parque eólico e com a afectação dos terrenos necessários à sua concretização ainda em 2009.
Fonte:www.ambienteonline.pt/
publicado por adm às 23:43

pesquisar
 
links