Energia Eolica

Setembro 08 2010

Certamente uma inspiração nos primeiros navios que galgavam os oceanos a descobrir numas terras.

Apesar da junção entre barcos e ventos não ser uma ideia propriamente nova – afinal, o vento foi o elemento principal para levar as caravelas portuguesas aos sete cantos do mundo -, a especialista mundial em energia eólica Enercon GmbH conseguiu inovar. A empresa desenvolveu o primeiro navio de carga do mundo com os motores movidos parcialmente a energia eólica.


Durante a sua viagem inaugural, que teve início em Emden (Alemanha), o E-Ship 1 passou pelo Porto de Leixões e prosseguiu a sua rota de demonstração. De acordo com a empresa, os principais motivos para o desenvolvimento desta tecnologia relacionam-se com «o aumento da eficiência energética no envio das turbinas eólicas da marca para o estrangeiro, mas também com a demonstração das vantagens da tecnologia de turbinas eólicas da Enercon numa área de aplicação distinta».


Em termos técnicos, o navio foi especialmente desenhado para reduzir, entre 30 e 40 por cento, as emissões de CO2 e o consumo de combustível fóssil, quando comparado com um navio de carga tradicional, de porte idêntico. Através de quatro rotores eólicos de navegação, de forma cilíndrica, o veículo consegue manter um sistema secundário de propulsão, com recurso ao vento, que ajuda o motor a diesel nas deslocações do navio. «Com ventos favoráveis, os quatro cilindros podem substituir a energia convencial diesel na quase totalidade», sublinha ainda a Enercon. Não obstante, a empresa preferiu não comentar ao Ambiente Online qual o investimento feito no E-Ship 1 e no desenvolvimento tecnológico associado.

fonte:ambienteonline

publicado por adm às 23:06

Abril 19 2010
Está em fase avançada de construção a segunda fase do parque eólico nas freguesias de Carreço e Outeiro, um dos projectos da ENEOP2, que tem como accionistas os promotores eólicos a Enercon, Enernova – Novas Energias, Generg Expansão, Finerge – Gestão de Projectos Eólicos e TP – Sociedade Térmica Portuguesa.

O novo parque eólico surge no âmbito do contrato de atribuição de capacidade de injecção de potência na rede do sistema eléctrico de serviço público para energia eléctrica produzida em centrais eólicas, celebrado em 27 de Outubro de 2006, entre a Direcção Geral de Geologia e Energia e a ENEOP – Eólicas de Portugal SA.

O projecto, que vai ter seis aerogeradores com dois MW de potência, integra a instalação de uma subestação e edifício de comando, postos de transformação, rede interna de cabos, faixas envolventes de protecção e implica ainda a construção de acessos viários.

A empresa já arrendou os necessários terrenos a privados e às juntas de freguesia, tendo a Câmara Municipal de Viana do Castelo declarado a sua concordância com a localização do parque eólico e com a afectação dos terrenos necessários à sua concretização ainda em 2009.
Fonte:www.ambienteonline.pt/
publicado por adm às 23:43

pesquisar
 
links
subscrever feeds