Energia Eolica

Maio 05 2010

A través do sector Energy, a Siemens anunciou que o novo aerogerador de accionamento directo SWT-3.0-101 está pronto a ser comercializado. Com uma potência nominal de 3 megawatts, este novo equipamento distingue-se pelo graças ao “conceito de accionamento directo com gerador de íman permanente”.

 

Segundo o comunicado da Siemens, este novo aerogerador, “com apenas metade das peças de uma turbina eólica convencional e ainda menos de metade das partes rotativas, necessita de menos manutenção e permite “aumentar a rentabilidade dos clientes”.

A nova turbina eólica de accionamento directo caracteriza-se por um rotor com um diâmetro de 101 metros, que está agora disponível a nível mundial, tanto para projectos em terra, como no mar.

“O novo SWT-3.0-101 oferecerá mais 25% de energia que o nosso aerogerador actual de 2,3 megawatts, mas terá menos peso e apenas metade das peças”, referiu o CTO da Siemens Wind Power Business Unit, Henrik Stiestal.

“Este aerogerador foi concebido com o nosso objectivo de reduzir a complexidade, a fim de aumentar tanto a fiabilidade como a rentabilidade”, explicou o mesmo responsável, revelando que, no futuro, acredita que este “aerogerador de accionamento directo será um investimento fiável a realizar na área de produção energética”.

Este equipamento contém um accionamento sem caixa redutora, com gerador síncrono compacto com excitação permanente. A principal vantagem dos geradores com íman permanente reside “no seu design simples e robusto, que dispensa qualquer energia de excitação, anéis colectores ou sistemas de comando da excitação”. Desta forma, é possível alcançar uma “elevada eficiência, mesmo em períodos de carga baixa”.

fonte:www.construir.pt

publicado por adm às 23:10

Abril 26 2010

Segundo o comunicado enviado pela empresa liderada por Ana Maria Fernandes à CMVM, a Vestas foi escolhida através de “um processo de selecção competitivo para a celebração de um contrato de fornecimento em larga escala de turbinas eólicas”.

Segundo a mesma fonte, a Vestas apresentou “a oferta de maior valor global, tendo em conta o pipeline de curto prazo da EDPR, assim como as perspectivas de flexibilidade no crescimento e os objectivos estratégicos da empresa”.

Os responsáveis da EDP Renováveis referem ainda que, através deste contrato, a empresa poderá “obter uma vantagem competitiva na indústria de produção de energia eólica”.

Fonte:Construir

publicado por adm às 23:22

Abril 19 2010

De acordo com a informação fornecida pela Alstom, este novo parque será composto por 61 turbinas eólicas Alstom ECO, que totalizam mais de 100 megawatts de energia renovável.

À Alstom caberá assegurar o fornecimento, instalação e comissionamento do parque eólico, bem como a responsabilidade pela operação e manutenção nos primeiros cinco anos.

O novo contrato estabelece o compromisso marroquino em alcançar a meta de gerar 42% da sua electricidade a partir de fontes renováveis, até 2020.

“A Alstom orgulha-se de ter assinado este contrato, em Marrocos, que permite que o grupo e os seus clientes possam reforçar ainda mais a indústria deste país a nível eólico, em sintonia com as suas políticas ambientais”, referiu o vice-presidente da Alstom, Philippe Cochet.

Por sua vez, Mohamed Sebti, director da Nareva Energia afirmou estar muito animado “por desempenhar um papel importante no desenvolvimento da capacidade de geração de energia eólica de Marrocos”.

Fonte:www.construir.pt

publicado por adm às 23:33

pesquisar
 
links